Entre as ações de cooperação promovidas pelos docentes destacam-se: (1) a realização de convênios com instituições e grupos de pesquisa estrangeiros como o Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, State Museum of Natural History Stuttgart, Technische Universität Braunschweig, Universität Tübingen e Zoological Research Museum Alexander Koenig – ZFMK, na Alemanha; Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuaria, na Argentina; Université de Liège, na Bélgica; University of British Columbia, no Canadá; Universitat de Barcelona e Universidad de Sevilla, na Espanha; Florida Department of Agriculture, Ohio State University, United States Department of Agriculture e University of Hawaii at Manoa, nos Estados Unidos da América; University of Bristol e University of Kent, na Inglaterra; Università di Pavia, na Itália e University of West Indies – Campus St Augustine, em Trinidad & Tobago; (2) e com instituições e grupos de pesquisa nacionais: Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade de São Paulo (USP/Ribeirão Preto), Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ/USP), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), EMBRAPA Amapá, EMBRAPA Uva e Vinho, Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/Jaboticabal), Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e empresa Michelin Brasil. Um detalhamento maior é apresentado nas sessões Dados institucionais e Projetos da corrente proposta. Entre as ações de intercâmbio internacionais o programa conta (por exemplo) com o Dr. Dennis Rödder, curador do Museu Alexander Koenig (Alemanha). Até o momento este pesquisador já orientou três alunos de mestrado no programa. O Dr. Miguel Tejedo (Estación Biológica de Doñana – Espanha) visita o PPGZOO anualmente e co-orienta alunos. Dois alunos de doutorado e três de graduação da Universidade de Sevilha (Espanha) realizaram visita técnica e sanduíche na UESC de outubro de 2011 a fevereiro de 2013, colaborando com alunos e docentes do programa. Em 2013 aconteceu a visita de pesquisadores e estudantes de doutorado da University of West Indies (Trinidad & Tobago) e Universidade de Liége, com os quais mantém colaboração com o Laboratório de Etologia Aplicada (LABEt) e Laboratório de Nutrição de Animais Neotropicais da UESC. Além da atração de vários alunos estrangeiros desde a sua primeira turma, o programa adere ao convênio internacional da Organização dos Estados Americanos (OEA) com a Assessoria de Relações internacionais da UESC (ARINT) para formação de alunos de países membros da OEA. O programa também realizou um acordo de estágio com a Universidade da Bretanha Ocidental (França), recebendo em 2015 o Mestrando francês Morgan Danielo. Nos anos de 2015 e 2016 alunos da Universidade de Tübingen visitaram a Bahia e em colaboração com alunos do curso de graduação em Ciências Biológicas e do Mestrado em Zoologia realizaram saídas ao campo na Reserva Serra Bonita e Reserva Ecológica da Michelin (https://brasilienexkursion.wordpress.com/). O programa também contou com a colaboração do Dr. Andrés Egea-Serrano (Espanha), que de 2012-2015 atuou como bolsista de pós-doutorado através do programa Ciência sem Fronteiras. Hoje, o programa conta com um Pesquisador Visitante Especial (PVE), o Dr. Konrad Mebert da Suíça, também via programa Ciência sem Fronteiras. O programa também atrai pesquisadores com financiamento estrangeiro. Em 2015, a Dra. Judit Vörös, Curadora da Coleção Herpetológica do Museu Húngaro de História Natural (Magyar Természettudományi Múzeum — MHMN) realizou um estágio pós-doutoral de três meses com financiamento de agências européias de fomento à pesquisa. Atualmente a bióloga Tanja Laaser, formada pela Universidade de Tübingen, realiza estágio pre-doutoral em dois projetos vinculados a alunos do curso. Diversos docentes publicam rotineiramente com pesquisadores parceiros de várias instituições internacionais, permitindo publicações multinacionais (>10 países) em revistas com alto fator de impacto. A participação em projetos internacionais tem permitido ainda a vinda de pesquisadores como o Dr. Yves Roisin (Bélgica), que apresentou palestra no PPGZOO, e a apresentação no exterior de palestras da equipe brasileira. Além disso, tem permitido que egressos do programa realizem treinamento no exterior. Entre os intercâmbios nacionais pode-se destacar a aprovação, em 2009, do PRONEX/FAPESB - Rede multidisciplinar de estudos sobre formigas poneromorfas do Brasil, no valor de R$1.700.000,00, coordenado por docente do programa, estreitando parceiras entre instituições de ensino superior e de pesquisa da Bahia, de outros estados do Brasil, além de um grupo do exterior. Estiveram envolvidos 17 programas de Pós-graduação nacionais, além de um francês, garantindo a formação de recursos humanos altamente qualificados em áreas prioritárias para o Brasil. Neste quadriênio foram aprovados pela FAPESB, os projetos em rede: “Rede de pesquisas em citogenética molecular nos himenópteros aculeados da Bahia” firmado entre a UESC, a UESB e a CEPLAC, com o objetivo de ampliar o conhecimento acerca da evolução cromossômica de himenópteros aculeados e aplicar a citogenética como ferramenta para elucidar questões taxonômicas nesse grupo de insetos e, entre a UESC, UFBA e UEFS, “Cantando nas cidades: avaliando a plasticidade fenotípica na vocalização das aves em áreas urbanas” para monitoramento de Passeriformes e a “Rede Baiana de Pesquisa sobre Anfíbios (RBPA)” que busca padrões e processos da diversidade de anfíbios na Bahia avaliando a influência das mudanças climáticas nesta diversidade e propostas de conservação da mesma, formada por pesquisadores de seis instituições (IF Baiano; UEFS; UESB; UESC; UFBA; UFSB). Destaca-se ainda a aprovação do projeto PNPD-CAPES “Uso da bioacústica como inovação tecnológica aplicada à conservação de mamíferos Neotropicais no sul da Bahia”, com a participação da UESC, UFES e USP-RP. Todos envolvem discentes e docentes e permitem o intercâmbio entre as instituições parceiras. Em 2015 foi aprovado o projeto de cooperação internacional da FAPESB "Integração de dados ecofisiológicos em modelos de distribuição de espécies para avaliação do efeito das mudanças climáticas sobre os anfíbios", uma colaboração entre UESC, Estación Biológica de Doñana, Rensselaer Polytechnic Institute (EUA), UFERSA, UFG, Universidade de Murcia (Espanha) e o Zoologisches Forschungsmuseum Alexander Koenig de Alemanha. Com relação à inserção regional do programa, merecem destaque os trabalhos desenvolvidos em parceria com a sociedade local como, por exemplo, os projetos com tartarugas marinhas - “Projeto Txaitaruga”, realizado através de convênio entre o PPG em Zoologia e o Txai Resort e voltado para a conservação de ninhos de tartarugas marinhas nas praias de Itacarezinho, Patizeiro e Pompilho, no litoral sul da Bahia, e um convênio com o INSTITUTO BALEIA JUBARTE e uma parceria com um Resort da região para desenvolver pesquisas visando a conservação de cetáceos. Na mesma linha, destaca-se o convênio com a empresa Michelin Brasil que detém uma reserva na qual muitos estudantes estão coletando dados de mamíferos, serpentes, lagartos, anfíbios, insetos terrestres e aquáticos. Além destes, o projeto “Controle do risco causado por vertebrados na aeronavegação em Ilhéus” em parceria com a Infraero determinou o grau de risco representado pelos incidentes ocasionados por aves no aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus. A partir dos dados obtidos, foi elaborada uma proposta de manejo.